Imagem capa - Parque Nacional Peneda-Gerês por Midtones Photography
Viagens

Parque Nacional Peneda-Gerês

O único parque nacional português. Foi criado em 1971 e abrange uma área total de 72 000 hectares.

Este parque está localizado na região do Minho, no noroeste de Portugal, a cerca de 100 km do Porto, nos distritos de Viana do Castelo, Vila Real e Braga.




Nas zonas mais remotas do parque, alguns lobos vivem ainda, também  javalis, texugos, lontras, veados e póneis selvagens. Além dos animais selvagens, vivem também no parque espécies domésticas que são mais facilmente observáveis como gado com longos cornos, cabras e ovelhas específicas da região e o rústico cão pastor Castro Laboreiro.

Lagoas de albufeira, como a da Caniçada, são espelhos de água abundantes e tomam um azul penetrante em dias de sol, debruadas a linhas de água quase brancas, reflectindo a imagem dos montes verdes, polvilhados pelos amarelos e rosas intensos da urze e do tojo.






No Inverno, os planaltos são a nossa pequena Patagónia, despidos de cores intensas, uma cortina de picos cinzentos a fechar o horizonte. Os regatos mais finos congelam, a geada e a neve pintam a paisagem de branco e cinzento; ou então, em dias mais húmidos, um nevoeiro opaco pousa nos vales, transformando os cumes graníticos das montanhas em ilhas de Avalon, de onde chegam, em eco, os sons vagos das aldeias: ladrar de cães, assobios de pastores, sinos de igreja.




A abundância de água jorra de fontes e em cascatas, como a bela cascata do Arado, desce socalcos, faz rodopiar pedregulhos que cavam buracos redondos nos penedos maiores e acabam em posições estranhas nas margens de rios e no meio de lagos.



Na Mata de Albergaria, a paisagem é menos agreste e a rudeza das fragas está vestida por um bosque de beleza excepcional. As árvores, uma amálgama de espécies mediterrânicas e outras mais próprias do Norte da Europa, levantam-se de um chão musgoso, de um verde húmido, ou de um colchão de fetos gigantescos. É uma floresta encantada, por onde os raios de sol entram filtrados por folhas de um verde transparente, ou nem sequer entram…

Morada de duendes, sem dúvida, lugar de fadas com banda sonora de água e pássaros. Em certos lugares, o rio Homem cavou piscinas arredondadas, poços profundos onde também a água é verde ou azul, conforme a luz. Libélulas azuis e sapos castanhos são visitantes de Verão, neste lugar onde as pessoas só penetram a pé.



Tem vezes que nem parece que estamos em Portugal, quando no meio da montanha nos aparece um yurt




O parque é o lar de mais de uma centena de aldeias de granito que pouco mudaram desde a criação de Portugal no século XII.

As aldeias mais antigas permanecem longe da vida moderna. Os bois ainda são conduzidos ao longo das ruas por mulheres vestidas de preto e os pastores ainda deixam os seus rebanhos pastar sozinhos durante cinco meses.




Este são apenas alguns exemplos de muitos passeios e de como passar um lindo dia no Gerês.

Recomendamos que venha acompanhado de sua câmera fotográfica, e de roupa e calçado confortáveis. Verá que a fotografia é a melhor forma de registar todos os momentos inesquecíveis que desfrutou, bem como os elementos da paisagem.



Mais passeios inesquecíveis em https://www.midtonesphotography.com/portfolio/tours-fotograficos/411553-sem-titulo